top of page
  • Escritor

Como reduzir o tempo de carregamento da betoneira?

Quem é prestador de serviços de concretagem sabe que a velocidade e a precisão com que são executadas as etapas do seu trabalho, são de fundamental importância para o resultado final do processo. Isso porque a partir do momento em que adicionamos água ao cimento, uma reação química começa a acontecer, e um atraso no carregamento, transporte ou aplicação do concreto, pode prejudicar demais a qualidade e a resistência da peça concretada. Por isso, os empresários do setor estão sempre procurando investir em equipamentos de dosagem, na frota e em equipamentos de bombeamento, para que o tempo entre a mistura dos materiais, transporte e a aplicação final do concreto, seja o menor possível.

Além dos equipamentos, a atenção com a logística de carregamento (programação), para que não falte caminhão na obra, ou para que eles não fiquem enfileirados em sua porta, são também de grande importância para o sucesso da concretagem.

Portanto, o conhecimento do método de descarga na obra é extremamente necessário para ajudar a definir o intervalo das cargas e a quantidade de caminhões betoneira que serão alocados para atendê-la.

Uma obra residencial, com poucas pessoas descarregando o caminhão betoneira em “carrinhos de mão”, pode consumir mais de duas horas no processo de descarga, logo, a equipe da concreteira sabendo desta possibilidade, pode programar quantidades menores por caminhão, para não correr o risco do concreto ficar “vencido”, ou seja, ultrapasse o tempo limite para sua descarga, que pode resultar na perda da qualidade ou da resistência do concreto.

Já em um processo de descarga utilizando bombas de concreto, dependendo da peça concretada, um mesmo caminhão cheio de concreto pode ser descarregado em aproximadamente 5 minutos. Neste caso, a equipe da concreteira precisa pensar muito bem na logística de entrega para que não faltem caminhões "alimentando" a bomba. Sabemos que um intervalo longo sem concreto em um bombeamento pode entupir sua tubulação!

Outra questão primordial é que não adianta ter uma bomba muito rápida e caminhões betoneira na quantidade necessária, se a central dosadora for lenta demais.

Nos processos normais de uma central Towgo, por exemplo, dificilmente se consegue carregar um caminhão betoneira em menos de 15 minutos.

Existe, entretanto, uma questão que pode ajudar a ganhar tempo nesses casos: a aceleração do carregamento.


O diferencial do Top-Go


Existem diversos tipos de centrais dosadoras de concreto, com modelos que podem oferecer uma velocidade maior ao processo, mas que dependem bastante do investimento inicial e da necessidade do mercado local. A diferença dos valores de investimento é absurda e às vezes a empresa pode estar adquirindo um equipamento sofisticado demais, que só vai ser exigido em raras ocasiões.

O equipamento mais tradicional no mercado, e com menor investimento necessário, é o Towgo, onde os agregados (britas e areias) são pesados em sequência e assim que se completa o peso solicitado no traço, são transferidos para o caminhão betoneira.

Mas este processo pode ser agilizado com uma automação de última geração, o sistema de carregamento contínuo que a Kartrak batizou com o nome de Top-Go, criado para reduzir o tempo de carregamento do concreto em centrais tipo Tow Go.

Neste novo conceito, o caminhão betoneira consegue sair debaixo do ponto de carga em um tempo de processo até 40% menor do que os sistemas manuais e do que as automações convencionais.

Com o sistema de automação Kmix, além da agilidade que o Top Go confere, trazendo velocidade e precisão com um investimento muito menor, fornece relatórios, extrato de carga, e outras vantagens que só um sistema desenvolvido por concreteiros, utilizando o que há de melhor em tecnologia, pode oferecer.

Você pode conhecer muito mais sobre o Kmix, sistema de automação da Kartrak para centrais dosadoras de concreto, clicando neste botão abaixo!


コメント


bottom of page